Conjunto de obras revela a força da produção artística de Mari Bueno

Os moradores de Lucas do Rio Verde podem se orgulhar do mais novo bem cultural da cidade. Após dois anos de trabalho, o projeto Cores da Rosa Mística é finalizado com a entrega de três exposições permanentes, sediadas na Igreja da Rosa Mística. A inauguração será neste sábado (11), com missa de bênção, às 19h30.

As obras em pintura e mosaico foram todas produzidas pela especialista em arte sacra, Mari Bueno. As ações do projeto basearam-se na produção de nove vitrais figurativos que homenageiam as mulheres relevantes da história da salvação e oitões feitos artesanalmente em pastilha de vidro, que revelam as três flores da Rosa Mística.unnamed (9)

Também há uma cruz de vidro que fica acima do presbitério, pinturas artísticas de quatro painéis que retratam Cristo e 15 obras que compõem a coleção Via Sacra em mosaico, instalada no entorno da Igreja.

A diretora da Ação Cultural, responsável pela realização do projeto, Viviene Lozi, destaca a destreza da artista. “A força de Mari Bueno para a conclusão das obras foi impressionante. Ela só contou com ajuda de suporte, como na preparação de tintas e andaimes. Os vitrais, os oitões, os painéis, tudo obra dessa importante artista, a exemplo de Michelangelo quando sozinho pintou o teto da Capela Sistina, no Vaticano, nos anos de 1508 a 1512”, contextualiza.unnamed (13)

A premiada crítica de arte, Aline Figueiredo também ressalta a coragem da artista. “Dificuldades? Grandes dimensões? É com ela mesmo. Atuante no nortão mato-grossense, para ela não tem tempo ruim. Enfrenta estradas e distâncias, andaimes nas alturas, diversidades de suportes e de técnicas, temas complicados, a tudo enfrenta tal uma missionária, âncora da fé”.

Aline também relata a semelhança da obra no norte mato-grossense com os primórdios da cristandade. “A Catedral ao centro da praça cívica está como um simulacro propagador da fé cristã. E os trabalhos de Mari Bueno, tanto na Catedral de Sinop quanto na Igreja de Lucas do Rio Verde, estão como cartilhas litúrgicas, assim como um núcleo da evangelização”, entre outros detalhes ancorados em pesquisas litúrgicas que a artista achou necessárias.unnamed (1)

Para Aline, o conjunto de obras chega a ter facetas sensoriais. “A meu ver, os vitrais são o ponto alto da arte sacra de Mari Bueno. Tive a oportunidade, ao visitar à Igreja, em Lucas do Rio Verde, lá pelas 17 horas, e, quando de lá saímos, já pelas 19 horas, o sol já posto e o anoitecer já se presenciando, vimos com alegria o belo efeito em que a luz somatiza e, melhor, explicava a razão dos vitrais. Sim, na hora crepuscular os vitrais exercem a função de dentro para fora e ganham outra conotação. Mais madura e mais misteriosa. Radiante mesmo”, conclui.

Padre Odilo Hoepers destaca que além do valor artístico, há ainda, o fator de comunhão. “Um dos grandes desejos, após o grande esforço de muitos, é que este lugar ajude muitas pessoas a ter seu encontro pessoal com Jesus Cristo. Atingimos nossos objetivos se esta casa congregar a todos a viver como verdadeiros irmãos no Senhor e nela celebrar os dons que Deus quer dar a todos”, finaliza.unnamed (12)

A idealização do sonho da comunidade só tornou-se possível graças ao patrocínio do Ministério da Cultura via Lei Rouanet e o apoio das empresas Agro Baggio, Vipagro, Amazônia Máquinas, Dipagro, Bombonatto Indústria de Alimentos, Lojas Martinello e Fiagril. A realização é da Associação dos Produtores Culturais de Mato Grosso.

Referência

Artista plástica que transita entre os universos figurativo e abstrato, Mari Bueno conquista cada vez mais notoriedade quando suas produções envolvem a linguagem sacra. Obras em igrejas mato-grossenses com sua assinatura são referência não só neste Estado, como também, em países que valorizam as obras produzidas com a intensão de adequar-se ao ambiente litúrgico, ao tempo em que conserva as qualidades estéticas da arte. O objetivo é elevar os sentimentos de quem a contempla.

Autor: Assessoria