Escultura de Madre Paulina impressiona fiéis pelo realismo

Ninguém foi embora do Santuário Santa Paulina quando o padre André Borges da Silva encerrou a missa na manhã deste domingo em Nova Trento. Logo após o tradicional, vão em paz e que o Senhor os acompanhe, os fiéis que ocupavam os 3 mil lugares do templo formaram fila para se aproximar da mais realista escultura já feita das feições da religiosa, revelada poucos minutos antes.

madre paulina jornal

Devotos puderam conferir de perto a escultura feita em homenagem à Santa Paulina
Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

Fiéis lotam Santuário Santa Paulina para conhecer escultura da religiosa

— Parece que ela está viva! — era a impressão geral ante a imagem do busto da primeira santa brasileira, exposto em uma redoma de vidro à esquerda do altar.

A obra, feita em tecnologia tridimensional, foi a primeira realizada no Brasil com uma figura canonizada. O responsável, o designer 3D chapecoense Cícero Morais, já realizou trabalhos similares com Santa Maria Madalena, na França, Santo Antonio de Pádua, em Portugal, e Santa Rosa de Lima e São Martin de Porres, no Peru.

— A reconstrução facial envolve conhecimentos técnicos, científicos e históricos. Neste caso, ainda houve o componente de fé e devoção. Embora eu não tenha religião nem acredite em nada, todas as vezes em que participei de projetos desse tipo tive ganhos pessoais e espirituais — diz.

A imagem remete à Santa Paulina por volta de 45 anos e com um leve sorriso — diferente de seus retratos mais conhecidos, nos quais ela aparece com a expressão fechada e aparenta ser mais velha.

— Ela era séria, não triste — explica a vice-coordenadora geral da congregação, Irmã Rosacy Soares Costa.

Confira como ficou a reconstrução facial 3D de Santa Paulina

A finalização ficou a cargo da artista plástica Mari Bueno, que deu cores à face da santa com base em referências e relatos de algumas das Irmãs da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição que conviveram com a religiosa.

— Para mim teve um significado especial, pois tenho família em Santa Catarina e sempre que venho para cá fazemos questão de visitar o santuário — afirma a pintora de Sinop (MT).

A versão em duas dimensões foi apresentada e aprovada na sede da congregação, em São Paulo, no último dia 13. Conforme Morais, a reconstrução a partir do crânio da santa, falecida aos 76 anos em 1942, demorou 24 horas. Para chegar ao resultado desejado quanto à pele, Mari levou mais um mês de estudos de tons, luzes e sombra e aplicou cinco camadas de pintura.

O designer conta que ofereceu o serviço gratuitamente porque o trabalho com santos sempre acaba trazendo benefícios para a ciência, já que atinge mais pessoas. Enquanto o ordem mantenedora do santuário não define um lugar para exibir o busto à visitação, a imagem ficará na capela onde estão as relíquias de Santa Paulina.

Por EMERSON GASPERIN – Diário Catarinense

Página 1 de 212