A Arte Sacra de Mari Bueno por Ricardo Barradas

1758Catolicidade, o exercício da fé pela arte e o amor perene pela Grande Floresta, não sei bem aonde começa um ou mesmo onde a outra termina.

Quando recebo a notícia que a grande artista brasileira Mari Bueno realiza trabalhos com a mais apaixonada de sua criatividade na temática da arte sacra embebida de amazônia, fico feliz que a arte, ainda tenha importância no ambiente público religioso de certas localidades brasileiras.

Confesso que sempre pensei assim, quando iniciei o Projeto de Arte Contemporânea nas Igrejas na década de 1980, com a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, e a RioArte, no bairro de Bangú na cidade do Rio de Janeiro, via o mundo por este prima e ainda vejo.

Na época, pelas dificuldades das crianças frequentarem os museus das capitais, inverti o papel levando artistas contemporâneos da atualidade para interpretarem antigas tradições seculares religiosas.

Na época o fenômeno da internet ainda não estava tão forte, e era necessário reflorescer com arte e criatividade e mesmo semear belezas estéticas no intuito de possibilitar boas e novas promissoras oportunidades artísticas e culturais junto à comunidade que frequentava estes templos.

Confesso que muito além do sentido catequético religioso católico propriamente dito, minha preocupação sempre foi em possibilitar novas oportunidades de ver, sentir e ter fé aos jovens locais em um futuro educacional cidadão próspero e belo bem longe da realidade que muitas vezes se apresenta distorcida, violenta e finita onde vivem.

Sendo assim, minha cara amiga artista Mari Bueno, sua obra está belíssima e deverá ir muito além da atmosfera do belo, da crença e da fé religiosa, irá sim sobre as asas da esperança do espírito santo de Deus suas criações sacras pictóricas levarão sem dúvida alguma boas sementes das novas idéias e ideais nos jubilosos entendimentos de quem as verem.

Em suma possibilitarão no lugar sagrado exaltar da melhor forma a esperança de vida e que tudo pode mudar, quandoacreditamos nos sonhos.

“Felizes serão todos os convidados para verdadeira ceia do Senhor”.

Com carinho, Ricardo Vianna Barradas.

Rio de Janeiro, 10 de Agosto de 2011.

* Ricardo Barradas é curador, consultor, marchand, pesquisador e avaliador de arte antiga, moderna, pós-moderna, contemporânea brasileira e internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *