Obras indígenas são ‘marcas registradas’ de Mari Bueno

obras-indigenas-sao-marcas-registradas-de-mari-bue_0_300
A temática indígena está presente em boa parte das obras da artista plástica Mari Bueno. Influenciada pelas cores quentes utilizadas por Candido Portinari, pelos traços marcantes e inovadores de Picasso e por estudos e observações das etnias indígenas da região Amazônica, ela criou seu próprio estilo. Coleciona prêmios e menções honrosas por dez obras do tema, que ficam expostas na Galeria em Sinop.

Mari começou pintar os nativos da Amazônia em 2000. Logo após concluir a primeira tela, “Índio”, foi premiada com medalha de Ouro pela Sociedade Brasileira de Belas Artes. Além dessa, outras nove obras sobre os índios também ganharam notoriedade. Caso das telas intituladas “Índia Mãe” e “Índio Pescador” que ganharam medalha de ouro na Exposição Index Cairo, no Egito em 2002.

Para a artista plástica, a paixão pelo tema indígena vem da interação com a natureza da região onde mora desde os sete anos de idade.

“O que me encanta na temática indígena é a fisionomia exótica e fora dos padrões impostos como belo. O olhar do índio é muito forte, a expressão muito intensa. É uma beleza diferente”, explica a artista.

Para o empresário e conselheiro administrativo da Colonizadora Sinop, Luís Otávio Loureiro de Carvalho, as obras de Mari Bueno retratam profundo conhecimento e despertam intensa contemplação.

“Mari é seguramente uma das pessoas mais talentosas que conheço. Não por ser apenas um dos fãs da sua obra, muitas vezes premiada dentro e fora do país, mas por considerá-la uma das maiores estudiosas da ‘expressão’ indígena da nossa querida Amazônia”, destaca Luís Otávio.

Segundo Mari Bueno, o estilo de pintura ao retratar o povo da floresta não se encaixam em padrões unicamente acadêmicos.

“Muitas vezes trabalho o olhar com um estilo mais acadêmico e o restante da obra com outras técnicas e materiais. Isso provoca um contraste entre o formal e descompromisso com as regras. Com isso, tento despertar no apreciador a profundidade e ao mesmo tempo a liberdade dos traços”, enfatiza.

A técnica utilizada pela artista é óleo sobre tela. Também utiliza uma criada por ela própria, feita com pó-de-serra (resíduos de madeira) recolhido nos lixões das madeireiras.

As obras da artista são expostas, de forma permanente, na Galeria de Artes Mari Bueno, que fica na rua das Pitangueiras, 1258, no Centro de Sinop.

A visitação é aberta e gratuita a todo público de segunda a sexta-feira em horário comercial. Outras informações e fotos das obras estão no site www.maribueno.com.br

Fonte: Nara Vendrame/Black & White Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *