Mato-grossense faz exposição no Museu de Arte Sacra em Fátima, Portugal

Artista irá retratar a vida da Virgem Maria como discípula e missionária em 49 obras que ficarão expostas entre maio e junho no Museu de Arte Sacra e Etnologia

IMG_3446

As devoções a Maria, mãe de Jesus, em diversos locais do mundo e a cultura local onde se encontram os Santuários Marianos é o foco da próxima exposição da artista plástica Mari Bueno. Entre os dias 03 de maio e 29 de junho, o Museu de Arte Sacra e Etnologia, localizado em Fátima, Portugal, recebe 49 obras da artista que irão integrar a exposição “Maria Discípula Missionária”.

Utilizando a técnica de óleo sobre tela, Mari irá apresentar 13 obras que retratam a vida de Maria, desde a anunciação até a coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra e outras 18 obras referentes às aparições de Maria em 18 países. “Cada pintura relacionada à aparição será acompanhada de outro quadro referente à história e cultura do povo onde se encontram os Santuários. As obras irão representar a atividade missionária de Maria ao redor do mundo. Ela que foi a primeira discípula, realizando a peregrinação da fé seguindo seu Filho Jesus, esta missão que continua sendo propagada nos Santuários sempre com mensagens para que Cristo seja o centro da vida cristã”, explicou Mari.

Mais uma vez Brasil e Portugal se interligam por meio da arte. Porém o intercambio cultural promovido por meio da mostra vai além da ligação histórica entre os dois países e apresenta ao público diferentes expressões e valores da cultura de outros 16 locais visitados pela Virgem Maria. “Além de Nossa Senhora Aparecida [Brasil] e Nossa Senhora de Fátima [Portugal] os devotos irão conhecer mais sobre Nossa Senhora de Akita, do Japão, Nossa Senhora de Altötting, da Alemanha, Nossa Senhora de Guadulupe, do México, entre tantos outros nomes que foram atribuídos a Nossa Senhora ao passar dos anos em diversos locais do mundo. As obras também farão referência aos santuários mais visitados pelos fiéis nos quais ocorreram aparições da Virgem”, declarou a artista.

EVANGELIZANDO

A exposição ainda terá uma função catequética, evidenciando a forma como os costumes locais agem na religião e servem como caminho para a vida cristã. “Estou estudando o espaço para que as obras fiquem expostas de uma maneira que cronologicamente o visitante consiga acompanhar momentos da vida de Maria e geograficamente a localização das aparições nos 18 países escolhidos. As pinturas serão acompanhadas de textos com explicações catequéticas, teológicas e simbólicas”, informou Mari, que é pós-graduada em Arte Sacra.

A preparação para a mostra em Portugal começou em agosto de 2013, quando surgiu o convite por parte do Museu. O estudo para a produção das obras, que estão em andamento, inclui pesquisas e uma vasta literatura sobre o tema escolhido para a exposição. Para a artista, que já participou da Bienal de Londres e expôs no Museu do Louvre, a mostra em Fátima já é considerada a mais importante de sua carreira até o momento. “Além de estar relacionada à missão do Museu, está voltada também à minha especialização em arte sacra e meus estudos sobre os povos, semelhante ao que ocorre em minha relação com a cultura indígena, retratada em várias de minhas telas. É uma junção de princípios, valores e premissas que defendo e admiro”, ressaltou.

Mari Bueno, que mora em Sinop (MT) há mais de 30 anos, será a primeira artista residente no Brasil a expor no Museu de Arte Sacra e Etnologia. A exposição será aberta aos visitantes do Santuário de Fátima e fará parte do período de comemoração do dia de Nossa Senhora de Fátima, celebrado em 13 de maio. A estimativa é de que o local receba a visita de 20 mil peregrinos, vindos de diversos países.

MUSEU

O Museu de Arte Sacra e Etnologia pertence ao Instituto Missionário da Consolata. Além de conservar raras coleções dos séculos XIV e XX, o local tem a missão de levar ao conhecimento de seus visitantes os mistérios da fé cristã e o caminho do Evangelho por meio dos cinco continentes. “Para nós será uma honra receber a conceituada artista Mari Bueno, cuja obra tem sempre presente o elemento evangelizador, ligando-a a liturgia. A exposição se enquadra perfeitamente em nossa missão e irá contribuir para reforçar a importância da Igreja missionária por meio do exemplo de Maria como discípula e missionária. Além disso, estamos localizados em Fátima, o ‘Altar do mundo’, um local privilegiado para abordarmos a temática Mariana”, revelou o diretor do Museu, Gonçalo Cardoso.

Os trabalhos da artista referentes à Amazônia, lugar muito especial para os missionários da Consolata (onde desenvolvem missões) e os traços de Mari Bueno mostram outras latitudes e perspectivas diferentes das europeias, o que deverá atrair o interesse do público, conforme afirma Cardoso. “Pensamos ainda que a mostra poderá contribuir para reforçar a consciência do papel de Maria como discípula missionária, aludindo às aparições em vários países do mundo, retratando-se as diversas culturas. Cremos que irá corresponder totalmente às expetativas dos visitantes pela peculiar temática e qualidade das obras expostas”, enfatizou.

A ARTISTA

Mari Bueno mora em Sinop há 35 anos. Seus trabalhos são a expressão das características amazônicas e da inculturação na Arte Sacra. Realizou exposições e foi premiada no Brasil e em outros países, sendo 19 premiações no exterior: Itália, França, Alemanha, Suíça, Inglaterra, EUA, Portugal e Egito.

Participou também de três exposições no Museu do Louvre em Paris, na França, onde ganhou menção honrosa por suas obras.

Em 2012 foi convidada para uma exposição no Museu de Arte de Chianciano, em Siena, na Itália onde era a única brasileira entre 140 artistas de 40 países.

Em 2013 participou de duas Bienais na Europa, a Bienal de Londres, na qual ganhou menção especial por sua participação e a Bienal de Siena na Itália.

Especialista em Arte Sacra e Espaço Litúrgico Celebrativo realizou várias pinturas em Igrejas, entre elas a obra de 480 m² dentro da Catedral Sagrado Coração de Jesus, em Sinop.

Lista das aparições que serão retratadas:

Brasil – Nossa Senhora Aparecida
Portugal – Nossa Senhora de Fátima
México – Nossa Senhora de Guadalupe
França – Nossa Senhora de Lourdes
Japão – Nossa Senhora de Akita
Polônia – Nossa Senhora de Czestochowa
Irlanda – Nossa Senhora de Knock
Rússia – Nossa Senhora de Kazanskaya
China – Nossa Senhora de Dong Lu
Índia – Nossa Senhora de Vailankanni
Espanha – Nossa Senhora do Pilar
Alemanha – Nossa Senhora de Altötting
Vietnã – Nossa Senhora de La Vang
Itália – Nossa Senhora de Loreto
Inglaterra – Nossa Senhora de Walsingham
Bélgica – Nossa Senhora de Beauraing
Angola – Nossa Senhora de Muxima
Holanda – Nossa Senhora de Todos os Povos

Autor : Suzana Machado/BW Comunica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *